HONRAR A VIDA NA EXPERIÊNCIA HUMANA

Por Fátima D’Agostino

Para um ser humano estar na Terra, a única entrada é pelo ventre feminino.

Não há como nascer aqui sem que alguma mulher permita. Claro, o homem é fundamental para que o milagre se realize. Entretanto, é a mulher que permite ceder seu corpo para gerar Vida na experiência humana.

Resisti, durante muitos anos, em aceitar que um dia de comemoração pudesse honrar esse ato de amor. Sim, Amor, porque não se trata de julgamentos sobre sermos boas ou não como mães, mas de permitirmos gerar um corpo para a essência que aqui desembarca. É sublime. E sobre termos um dia para comemorar as mães, entendo, é uma maneira de efetivamente honrarmos o Amor que Somos.

Da minha experiência, digo: permiti trazer essências e honro todas as mulheres que existiram antes de mim e as que possibilitarão as experiências da humanidade. Não se trata, também, do que fazemos pelos filhos e filhas, mas do que Somos.

Como mães, impulsionamos a evolução humana com a nossa própria evolução, pois são essências que se desenvolvem pelos nossos exemplos, não pelo que falamos ou fazemos, mas pelo amor e aceitação, incondicionais.

É nossa responsabilidade cósmica e não há como separar a Fonte Criativa de nós enquanto estamos humanos, pois somos a ponte para a essa experiência. Somos Amor Ativo, Compassivo e Luz!

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Livro Mensagens dos Mestres – De Coração a Coração
http://mensagensdosmestres.blogspot.com/
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fátima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração

VOCÊ CARREGA O NÚCLEO DA CRIAÇÃO – ACHA POUCO?

Por Fátima D’Agostino

22 de abril de 2021

Estamos em transição, é facto. Não há como negar a desestruturação global dos sistemas de organização social. Como formigas sem casa, corremos pra lá e pra cá em bando e acessamos tantas informações que nem sabemos mais discernir o que acreditamos ou não.

Essa mudança atinge vários níveis da existência porque não são apenas nas estruturas sociais, mas também na estrutura política, econômica e biológica. E todos os seres vivos do planeta carregam no DNA o registro que originou a vida no planeta. Somos unidades interligadas.

Para não ficar oscilando entre a alegria e o desânimo com informações lineares, algumas até irresponsáveis, sobre a transição que estamos imersos, pergunte-se: Sinto medo de que?

Novos desafios, mudanças de hábitos? Deixar de existir depois da morte, deixar as pessoas, lugares ou não ter como sobreviver? Saiba que esses medos não impedem a evolução. O que impede a evolução, e consequente expansão da consciência, é o apego à história pessoal que construímos para nos defender e nos manter seguros e protegidos.

Não te parece insano resguardar-se atrás de crenças e reagir aos estímulos externos, sendo que as mudanças ocorrem dentro de nós e depois se manifestam na realidade? Se o medo natural que carregamos impedisse a evolução, estaríamos ainda na fase Homo habilis. A evolução, tanto nossa quanto planetária e universal, independe da nossa vontade, mas queremos ver resultados imediatos na realidade.

O tempo cósmico não é o mesmo que regula nossas atividades diárias. Ouvimos falar de transição planetária e queremos abrir a janela na manhã seguinte imaginando ver outra paisagem ou o sol central de Alcione. Nem aceitamos, ainda, que somos mestres, mas acreditamos ser aprendizes ou trabalhadores da luz, seja qual nome quiser usar. Essa crença é o que moveu a espécie humana, a vitimização, e separou pessoas entre merecedoras e pecadoras.

Com tanta informação que surge, me pergunto: como uma espécie que tem o poder de destruir um planeta não se sente capaz de regenerá-lo e aguarda seres galácticos ou fluxos de energia para consertar o que nós destruímos? Aprendizes percebem o caos, mas não se sentem parte porque não se responsabilizam pela obra. Percebe, agora, o tempo que levará para que um novo paradigma se estabeleça em nosso planeta?

Qual o sentido da existência?

Queremos dar sentido à existência, produzindo. No fazer estão incluídas as tentativas de trocar crenças, a busca de sentido filosófico para a vida, a justificativa sobre certo e errado, o crescimento pessoal, os julgamentos, entre outros rituais esotéricos para ancorar um sentido.

Não nos esvaziamos de todas as crenças porque para acessar o Ser, temos que abrir mão da identidade que criamos, não afastando pessoas e rompendo compromissos, mas, sentindo tudo como é e não como queremos que seja.

Não percebemos que respirar nos enraíza na Terra e nutre a existência temporal, que é o que somos aqui. Não é preciso buscar sentido, origem galáctica, porque somos a vida e estar aqui é ser pautado pelo Tempo: não há como escapar desse fluxo. Sabemos que vamos morrer, mas economizamos vida e obstruímos o fluxo para ganhar mais tempo. Para fazer o que?

Ser, é reconhecer a interligação com tudo que existe, além da compreensão, e participar dos acontecimentos sem envolvimento emocional. Reconheça e libere, em você, as emoções e crenças que postergam a evolução coletiva. O tempo segue transformando e transmutando, incessantemente. Seja o mestre alquimista, pois você carrega o núcleo da criação dentro de si. Acha pouco?

Hoje, você é humano, então, esteja aqui inteiro, agora, honre esse milagre com ações colaborativas!

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Livro Mensagens dos Mestres – De Coração a Coração
http://mensagensdosmestres.blogspot.com/
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fátima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração

SEJA QUEM VOCÊ É, AGORA

Partilho este bonito texto.
Mas não posso deixar de dizer, de que não acredito na criação de um ser externo.
Só acredito na criação individual. Na criação da nossa própria realidade!

Muito Amor, Paz e Luz para sempre!
Mário Jorge


Por Fátima D’Agostino

Compartilho como percebo em mim mudanças na percepção sobre crenças. Crenças são sistemas energéticos que nos mantém em certas frequências vibracionais. O processo de reconhecimento e desapego de crenças nos remete ao mistério da divindade que Somos e à convicção interna na inclusão universal, rompendo a separação perpetuada pela solidão cósmica e fantasia de que o paraíso não é aqui, mas lá.

Essa semana, ao escrever “Desses milagres que nossos mentores são capazes de materializar”, a confiança de que não estamos sozinhos percorreu meu ser e, mais ainda, senti a completa confiança de que somos mestres limitados pelos sentidos físicos, mas não isolados da Totalidade.

Aceitar a limitação temporária não implica em nos desconectarmos da Criação. Aceitar nos desloca da frequência vibracional da vítima impotente para a de merecedores que ao pedir apoio para ultrapassar situações que remetem ao medo, seja da nossa própria morte ou das pessoas que amamos ou de situações dolorosas e traumáticas vivenciadas por outra pessoa, somos amparados porque somos parte, Somos a Vida infinita.

Carregamos as mesmas crenças culturais que fracionaram nossa unidade corpo, mente, emoção e essência. As crenças limitam a produção de energia e nos mantém a deriva e a mercê da sorte.

Orar nos tranquiliza o coração, mas pedir pelo fim do sofrimento, da fome, da doença, dos conflitos ou da pandemia, não nos exime da responsabilidade de acordarmos para quem somos: somos propulsores das mudanças que queremos, mas esperamos receber, seja bênção, milagre ou proteção.

Essa é a crença mais arraigada em nós, a de seres limitados e dependentes. A realidade é um tecido energético que permite a manifestação da criação coletiva como uma tela de cinema. Alterando as frequências vibracionais, alteramos a percepção do que vemos nessa tela.

Tudo está certo, as telas estão sobrepostas medindo forças para se ajustar porque são muitas frequências permeando o planeta. Caminhamos, alguns, outros são empurrados, rumo ao sistema de coesão e interdependência que ajustará o foco no amor, na abundância e na cooperação.

E como sair da segurança ilusória das crenças e não pular de uma onda para outra na mesma frequência?

Não escolha lado em situação alguma, seja tema político, social ou pessoal; diminua a necessidade de provar que está certo; banhe com amor e gentileza as suas palavras e atitudes; abandone o hábito de carregar pessoas nas costas; não julgue as escolhas alheias e, principalmente, as suas.

Rompa com o sofrimento, assuma a autonomia e Seja quem você É, agora.

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
Livro Mensagens dos Mestres – De Coração a Coração
http://mensagensdosmestres.blogspot.com/
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fátima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração

DA RAÇA PARA O SER HUMANO

Este texto é muito importante.
Recomendo a sua partilha!

Muito Amor, Paz e Luz para sempre!
Mário Jorge


Por Fátima D’Agostino

14.03.21

Estamos imersos em duas dimensões de realidade. Uma das dimensões, a que nos é familiar porque nos habituamos a viver nela, é a dimensão que nos escondíamos atrás de pensamentos, da competição, da luta pela sobrevivência, da busca pela segurança das pequenas agremiações familiares.

Essa dimensão propiciou a invisibilidade de acordos e ações para que alguns se dessem bem em detrimento do sofrimento de muitos. Essa dimensão privilegiou a racionalidade, a habilidade intelectual e o arraigamento das crenças de limitação e escassez, motivando a competição e a busca desenfreada por acúmulo de bens materiais. O motor disso foi o carma, o medo e a meritocracia. Milhares de pessoas estão dentro dessa dimensão vibracional, ainda.

Outra dimensão, que milhares estão experienciando, é da solidariedade, da cooperação e da auto-responsabilidade. Essa dimensão energética foi criada pelo auto-conhecimento e empoderamento individual, fruto da expansão da consciência. Essa dimensão desvinculou os agrupamentos energéticos estabelecidos por eras.

O que separa essas duas dimensões? Nada, apenas apegos. Quem está desperto e expandido enxerga a loucura coletiva e sente desânimo, enquanto oscila entre uma e outra. É fácil perceber a nuance do deslocamento dimensional: uma hora estamos confiantes e em paz, em outra sentimos medo e não vislumbramos futuro promissor.

Saiba que o que nos move nesse planeta não pode estar acima do que nos mantém vivos: água, terra e ar. Somos partículas divinas envoltas pela natureza da Terra. A dimensão da cooperação fortalece nossos vínculos e codependência com a Terra.

A raça humana evoluiu e atingiu a máxima potência de criação. O próximo passo evolutivo é nos tornarmos Seres Humanos e vivermos na dimensão do amor, da cooperação. Enquanto oscilamos entre as dimensões da raça e do Ser, mantenha o equilíbrio centrado em quem você É. Tudo passa!

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
Livro Mensagens dos Mestres – De Coração a Coração
http://mensagensdosmestres.blogspot.com/
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fátima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração

ESTAMOS AVANÇANDO

Por Fátima D’Agostino

17.01.20

Vitória da luz, essa é a frase divulgada, ultimamente, nos meios esotéricos.
Mas, se há vitória, houve derrota, então, seguiremos perpetuando a dualidade?

Avançamos, com certeza, rumo à total modificação em nosso meio ambiente, sem noção de que somos natureza cósmica. As alterações climáticas, agricultura para produtos industrializados com  uso irresponsável de agentes químicos, consumo excessivo de carne e assim por diante, nos leva a doenças respiratórias, alterações celulares e depressão do sistema imunológico, entre outros, disseminados, ainda, por incineradores de lixo e aterros sanitários.

Não menos importante,  a produção e armazenamento de armas nucleares. Essas atividades, tidas como necessárias, nos levarão à extinção e, apesar de todo conhecimento acumulado, seguimos usando os mesmos métodos há dezenas de anos. Deliberada ou equivocadamente, o conhecimento não foi assimilado pela maioria das pessoas e continua sendo inexpressiva a atenção das pessoas, em geral.

A nossa raça, ao longo dos séculos, criou um abismo que separou as pessoas em elite e massa, materialistas e espiritualistas, como se não fossemos, todos nós, espíritos na experiência física convivendo com muitas formas de vida. Hoje, a dicotomia está descontroladamente berrante, pois há os que propagam vitória da luz, como se o entendimento espiritual bastasse para estar aqui e, saiba, não basta.

Já aqueles que rechaçam a espiritualidade, seguem sem a mínima noção da sua atividade exploratória e destrutiva. Morreremos, é fato. Quando deixarmos o corpo físico, voltaremos ao Todo, indistintamente, sejamos conscientes ou inconscientes, porque somos energia Suprema e não há dicotomia ou hierarquia na condição de fractal.  Entretanto, aqui, nosso comportamento pessoal se mescla ao senso de responsabilidade coletivo.

Nem todo o avanço científico e tecnológico dará conta de manter a vida tal como a conhecemos, muito menos a tentativa de prolongar a vida com arranjos tecnológicos no corpo humano. Os conteúdos informativos materialistas ensinam como ganhar dinheiro explorando recursos e mostram a degradação humana e da natureza, sem vincular responsabilidade ao estilo de vida da sociedade.  Os conteúdos informativos espiritualistas estimulam o desenvolvimento da gratidão, do perdão e da resiliência.

No espaço que nos separa, enterramos a responsabilidade com o planeta, o respeito à vida.  Já leu mensagem canalizada  sobre a preservação do planeta, redução da produção de lixo, consumo consciente, valorização da água, da terra, do ar?

Nem mesmo os que não acreditam na imortalidade são responsáveis pela da parte que lhes cabe na manutenção do planeta, mas exploram egoisticamente, sem pensar nem em sua própria família que ficará aqui após sua morte.  Seja pela ilusão da crença no paraíso ou pela crença de que não há vida depois da morte, estamos, todos nós,  segurando uma das pontas do cabo de força e não saímos do lugar atrelados uns aos outros.

Somos seres energéticos, somos parte de tudo que existe, inclusive do que desconhecemos, mas estamos vinculados, agora, ao corpo físico. A movimentação das energias cósmicas, inexplicáveis, vem facilitando o trabalho de limpeza de memórias ancestrais de sobrevivência, gravadas em nosso DNA, para que uma nova etapa na evolução da vida humana se concretize. Basta interiorizar-se e reconhecer o que é verdadeiramente seu: os corpos que te compõem.

A vida aqui ficou bem interessante com a descoberta do nosso potencial criativo e nos chama para limpar a bagunça que a ignorância e a inconsciência promoveram no planeta. Estamos aqui, somos natureza, é tempo de assumir nossa integridade e viver com transparência e respeito ao que somos: imortais em uma experiência finita. Se você morrer agora, o que viveu? Quais impressões ficarão marcadas em sua essência? A resposta, íntima e pessoal, é o que basta para te direcionar, momento a momento.

Vivemos para nós ou para o outro? Quantas vezes nos dispomos atender ao pedido de um filho ou filha, mesmo sem vontade, mas pelo verniz da maternidade/paternidade? Quantas vezes conversamos sem vontade, cozinhamos por obrigação, trabalhamos pelo salário e agredimos para nos defender?

Outro dia percebi que gastamos mais palavras para agredir do que para responder alguma pergunta. Por exemplo, uma pergunta inútil, pois a resposta seria óbvia, ao invés de respondermos sim ou não, falamos: você não está vendo que é isso ou aquilo, você não presta atenção mesmo, etc. Observe a necessidade de territorializar relações e nos posicionarmos, incessantemente, maiores ou menores do que os outros.

Autenticidade, individuação, responsabilidade e realização é o propósito da vida. A manipulação emocional que tanto nos motivou, não satisfaz mais, não dá mais para esconder nenhuma emoção atrás do corpo, não dá para culpar ninguém por nossas frustrações: a essência emergiu, floresceu e nos posicionou como seres humanos universais. Então, te pergunto: quem você é por trás do papel de mãe/pai, filho/filha, amigo/amiga, vítima ou carrasco?

A coerência em manifestar potenciais disponíveis na atual conjuntura cósmica é para nós, aqui e agora, pois foram necessários milhares de anos para tornar o corpo físico perfeito e potente: honre-o sem apego, respire profundamente, sinta a energia que você É e observe o cenário onde toda a vida, não apenas a humana, se manifesta.

A natureza foi aprimorando nosso corpo e a nossa capacidade cognitiva criou a ilusão paralela, um mundo isolado, onde tudo que acreditamos é perfeito para todos, mas não é bem assim, pois cada um tem seu próprio ideal, então, instalou-se a disputa. Ultimamente, a disputa envolve: tomo a vacina ou não tomo? Isso é um exemplo, mas são muitas as distrações lançadas, sem intenção deliberada, mas nos mantém iludidos.

Supor que a distração é lançada para propagar o medo é uma delas, mas distrações são lançadas pela  disputa de poder e ganhos, seja qual for e sempre escolhemos verbalizar uma posição, perpetuando a divisão. Entretanto, a disputa nos afeta profundamente, pois sentimos medo, muito medo de morrer.

Toda decisão é pessoal e as consequências de cada escolha são nossas, também. Qualquer decisão é pessoal, seja a sua, a minha ou de qualquer outra pessoa e  não precisa ser defendida ou atacada. Essa é a distração, buscamos confirmações externas que amparem as nossas escolhas, ou seja, não confiamos em nós mesmos.  Despertar é ser coerente com a confiança que temos em quem somos. Assim é.

Quanto mais aprofundamos, mais confiamos em nós mesmos, mais apreciamos a autonomia na manutenção do equilíbrio do nosso corpo e dos recursos naturais, honrando ser parte do ecossistema. Materializamos as nossas escolhas e sempre foi assim, mas diluíamos as consequências nefastas no coletivo. O planeta não abriga mais a inconsciência. Comemore! Somos abençoados por presenciar a transição planetária. Desperte! Depende de nós, aqui e agora, garantir a continuidade da espécie humana na Terra.

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fátima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com
Grata Fátima!

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração  a Coração

PERSONALIDADE VIRTUAL

Por Fátima D’Agostino

10 de janeiro de 2021

De onde vem o sofrimento e a dor?
Das experiências que temos com outras pessoas ou das experiências com a nossa própria vida?

Em ambos os casos, o sofrimento e a dor nascem na mente, não no coração, como se fosse o tempero da vida, pois entram em nós pelos sentidos. Tem um ditado arraigado na psique humana: se não aprende pelo amor, aprende pela dor. Mas, o que realmente nos faz sofrer?

A história da raça humana é repleta de crueldade, ganância, escravização, injustiças, conflitos, guerras e a ciência favorecendo pequena parcela da população mundial. E assim continua, mas agora assistimos em tempo real com a universalização da internet e do celular, o que estará escrito nos livros futuros da história.

O celular tornou-se parte de quem somos e indispensável para que muitos se sintam vivos. Exagero? Não pensa assim? Então, fica um mês sem celular e sem acessar a internet e depois me conta a experiência.

Nos últimos anos, o acesso à informação vem deturpando a percepção que temos sobre nós mesmos e sobre as pessoas. Acessamos, instantaneamente, qualquer acontecimento em qualquer parte do planeta. Recebemos a informação e nos sentimos parte dos acontecimentos, seja como juiz, algoz ou vítima.

Isso vem ocorrendo tão intensamente que nos distanciamos de nós mesmos para assumir uma personalidade digital. Tanta informação, desqualificada e parcial, distrai, postergando o autoconhecimento.

Quantas vezes os diálogos presenciais são abastecidos por assuntos disponibilizados online? Quem não se sente acompanhado quando está com o celular na mão? Quantas vezes, sem atividades ou sozinhos, pegamos o celular para nos distrair?

A armadilha dessa quarentena, ou de 2020, disponibilizada fartamente pelas redes, diz que foi o ano que nos levou ao autoconhecimento, ao processo de expansão da consciência. Expandimos, sim, as divergências ideológicas e culturais pelo alcance irrestrito da personalidade digital, aquela onisciente e presente em todos os acontecimentos globais.

Podemos dizer para não usar a tecnologia disponível? Não, não podemos. A tecnologia é fundamental e cumpre o papel de nos conectar, instantaneamente.

A frágil estrutura interna de quem não sente ser a Vida, de quem não confia na Vida que É, remete ao senso de identificação com histórias e amplia a indiferença, banalizando as injustiças e os horrores que a nossa história insiste em perpetuar, agora debatido, justificado e compreendido.

A internet facilitou a escolha de culpados. Tudo que entramos em contato nos afeta, mas não nos fixa em nosso próprio centro, nossa própria essência. Parece que a vida está sempre lá, não em nós e que os fatos compartilhados são mais eficientes para seguirmos do que as decisões tomadas ao silenciarmos a mente.

É urgente o reconhecimento de que não dá para sabermos tudo, são muitos mistérios que envolvem o universo e a vida no planeta. Sinto que muitos estão na expectativa por desfechos extraordinários que amenizem o medo da mediocridade, da invisibilidade social, da morte, da solidão, do desemprego, da doença, do futuro.

Qualquer notícia, mensagem, imagem veiculada mundialmente, carrega e dissemina energia e, muitas vezes, quase na totalidade, cumprem o papel de propagar medo e insegurança, intercalando esperança.

A tecnologia avança e isso é maravilhoso, pois estabelece igualdade entre a raça humana com o livre acesso. Observe, atentamente, o que vem ocorrendo, pois assim não se mesclará aos processos de homogeneização e massificação. A saída é mantermos o equilíbrio e o discernimento e frear a substituição da nossa Vida pela personalidade digital.

Dê uma navegada pelas redes e observe a energia que vibra em cada publicação. Esteja atento porque tudo que vibra passa por nós, mas não precisa ficar.

Permita-se reconhecer cada vibração e seja proativo na Vida que você É. Use tudo que está disponível, não seja instrumento. Não voe com seu pensamento por miragens artificiais, pois a inconsciência e não discernimento nos impede de apreciar onde estamos pousados.

Aprecie a vida que você É porque é nesse espaço que criamos o futuro e não nos cursos que fazemos, nas mensagens que lemos ou nas infinitas possibilidades virtuais. No espaço que você É não há sofrimento e não há dor, há somente potencial de amor, compartilhe!

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fátima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com
Grata Fátima!

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração

Feliz reNascimento

Por Fátima D’Agostino

Minha percepção sobre a vida e o espaço que ocupamos na natureza planetária, assim como a sua, vem se modificando.

Realmente, identificar e liberar crenças e hábitos arraigados que nos mantiveram presos na limitação da plenitude que somos, foi bem fácil para quem pratica a observação ativa.

E não há explicação científica, esotérica ou filosófica, pois estamos imersos na evolução da humanidade e vislumbramos as consequências dessas mudanças em nós mesmos, ainda, mas depois ampliaremos a percepção para a coletividade.

Incrível, fomos levados por um turbilhão de energia que reorganizou nossa visão dos acontecimentos. Muitas vezes tentamos justificar os fatos bizarros e destoantes da amorosidade como limpeza de energias densas que emergiram do inconsciente coletivo e, tudo bem, assim é.

Entretanto, na mesma velocidade em que nos desestabilizamos nos reequilibramos novamente. É como fazer exercício físico, no começo o desconforto nos desanima porque temos pressa de ver resultados, sempre.

Depois, a prática e a disciplina nos revigoram, embelezam, acalmam e fica difícil não praticar, uma vez que o bem estar é perceptível até para quem nos olha. Assim com exercício, assim com a ampliação da consciência e da percepção sobre quem somos nós.

Não desejo paz, saúde e alegria, pois sei que você as tem, já que é Amor. Desejo que vibre sua potente energia amorosa para as pessoas da sua convivência e que essas pessoas vibrem para outras e o mundo todo reverbere ondas de frequências de amor e de luz!

Feliz reNascimento

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fátima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com
Grata Fátima!

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração

NÃO EXISTE IMPERFEIÇÃO, APENAS EVOLUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO

Por Fátima D’Agostino

16.12.20

Nós, buscadores da integração e da expansão da consciência, trocamos, facilmente, seis por meia dúzia. Seguimos classificando os fatos e acontecimentos em positivos e negativos, construtivos e destrutivos, bons e ruins, tentando sobreviver na polarização coletiva.

Devoramos mensagens que falam sobre a entrada de novas energias, sobre o despertar em massa. Entretanto, energia sempre entrou, saiu e ficou: somos energia.

Energia não é percebida em ondas vibracionais restritas aos dramas mentais/emocionais, é preciso alterar as frequências que sustentam esse fluxo.

As mensagens trazem alivio mental porque falam no despertar coletivo, salto quântico da consciência. Mas, o que seria isso? Mágica? Presente? Não entendemos o profundo significado das canalizações e ignoramos o que é energia, tecnologia, quem somos nós e muito mais.

Retiramos das mensagens frases que acalmam a mente dizendo que tudo ficará bem, mesmo que você não faça nada, só intencione. E quando tudo vai bem, benção e gratidão e quando não tão bem, medo e aflição.

Verdades serão conhecidas

Tráfico humano, tráfico sexual, complô financeiro, monopólio industrial, tráfico infantil, tráfico de órgãos, trabalho escravo, fome, conflitos religiosos, corrupção, pedofilia, racismo estrutural e tantas outras verdades que são bem conhecidas por toda a população mundial. O que falta vir à tona?

Continuamos comprando cristais e pedras, roupas, tênis e muitos produtos, alimentando o trabalho escravo. Seguimos ignorando o racismo estrutural, a fome, etc.

Se a verdade for que há irmãos galácticos entre nós, qual impacto prático terá em sua vida, na minha, ou de qualquer outro ser humano? As verdades que já conhecemos podem se tornar história passada da humanidade quando todos nós nos conscientizarmos de que somos raça e não mais clãs.

Inteligência intelectual e inteligência emocional

Equilíbrio, empatia e compaixão, são atributos da inteligência emocional. Milhares de pessoas desenvolveram o intelecto e milhares desenvolveram a inteligência emocional.

Observe que os ciclos universais, tais como eclipses, movimentos planetários, meteoros, pulsares, buracos negros, matéria escura, tempestades solares, enfim, a natural movimentação cósmica é usada pelos empatas para justificar os acontecimentos da coletividade e dos indivíduos, ignorando dados científicos, enquanto os que desenvolveram o raciocínio lógico buscam a origem e funcionamento de tudo, ignorando a Fonte Criadora.

Somos parte dos ciclos, com corpo humano ou não, então, estudá-los ou divulgar movimentações cósmicas com a confiança de quem somos, valoriza a natureza que compõe o planeta e dissipa a ilusão de que a salvação ou destruição virá de lá. Equilíbrio.

Expandir a consciência não é Despertar

Expansão da consciência é ação que iniciamos pela mente. É escolha, é constatar que não conhecemos tudo o que acontece no universo. Essa constatação, sem mudança interna, ao invés de nos impulsionar para mergulhar no autoconhecimento e descoberta de potenciais, nos agrupa em pequenos grupos e com habilidades para desenvolver áreas cotidianas de atuação.

São nessas pequenas áreas que buscamos destaque, atenção e reconhecimento. Não somos diferentes dos humanos nos primórdios da história e não há nada errado com isso, é que agora não dá mais para se esconder na caverna.

Expandir a consciência é o início da integração da nossa humanidade com a divindade que habita em nós. É acreditar que existe mais, além do que vemos e ouvimos. Até um cachorro ou o gato, por exemplo, ouvem e enxergam frequências superiores aos hertz e espectros que nos limitam.

Hoje, ouvimos e lemos sobre o perigo da tecnologia 5G, da substituição do ser humano pela inteligência artificial, mas ignoramos, ainda, que a frequência de onda eletromagnética de um forno micro-ondas é a mesma da tecnologia 4G do nosso celular. Já estamos cozinhando o cérebro, há tempos, de dentro para fora, mas tudo bem, não dá para ver.

O fato é que opinamos muito e achamos muito, sem saber quase nada. Pincelamos e buscamos no Google, superficialmente, os assuntos que chamam a nossa atenção e o que não sabemos, não existe ou é conspiração.

Percepção

Ao expandir a consciência, mergulhamos na imensidão interior: nossos corpos físico, mental e emocional. Percebemos, então, que não somos compartimentados, mas unidade representativa do Todo. Não buscamos mais o que está errado em nós, aceitamos mais quem Somos.

E o que é aceitação? É o entendimento emocional de que as nossas sombras são emoções e pensamentos reprimidos por algum parâmetro social e classificamos ser errado e feio, escondendo para não serem julgados pelas pessoas com as quais convivemos. Se o fardo do autojulgamento é pesado, para que expor as mazelas, não é mesmo?

E, ao invés de aceitarmos e convivermos com as sombras que carregamos, exorcizamos condenando as ações alheias: como alguém ostenta o que carrego tão escondido em mim? Seja lá o que for, porque cada um tem noção do que acha certo, errado, bom ou mal.

O intelecto pode ser desenvolvido, as escolhas podem ser racionais e focadas em objetivos específicos, a inteligência emocional pode ser desenvolvida, mas a nossa alma, nosso corpo energético, nunca será acessado pelas vias mentais ou emocionais, senão o inconsciente não dirigia a nossa vida.

Despertar

Confiança. Existe mais do que você conhece. Cada um de nós escolhe, consciente ou inconscientemente, como viver a vida humana. Despertar é observar a sua escolha ou a do vizinho, sem julgar ou sentir qualquer emoção, seja raiva, indignação, admiração.

Somos compostos de muitas partes e não integrar restringe o comportamento, bem como as emoções, aos condicionamentos mentais (memórias).

Despertar é não se incomodar com a condição de vida alheia, pois, se conselho, oração ou ajuda resolvessem a questão, efetivamente não estaríamos, ainda, acreditando em céu e inferno.

Despertar é observar, naturalmente, se as ações são impulsionadas por memórias. É liberar o intelecto para focar em obter ou desfrutar de conforto. É liberar as emoções das reações e, consequentemente, ter o corpo mais saudável.

Despertar é confiar no quarto elemento, invisível e potente: a essência ou alma que te move.

Despertar não significa se tornar perfeito porque não existe imperfeição, apenas evolução e transformação.

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fatima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com
Grata Fátima!

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração

 

AQUI, EM JÚPITER OU NAS PLÊIADES…

Por Fátima D’Agostino

05 de Dezembro 2020

Nos identificamos tanto com a forma, que acreditamos em vida após a morte, comumente nos vendo além, mas na mesma forma que temos agora.

Continuar na ilusão dessa identificação não basta para viver, isso nos dá a certeza, apenas, de que existimos.

Viver é amar e ser amado porque somos Amor, somos iluminados, mesmo não enxergando a Luz. Viver é confiar, profundamente, na imortalidade, mesmo na forma impermanente. Quando confiamos em quem somos nós, nossa relação com o tempo e com as questões cotidianas mudam e as manifestações são conscientes porque saem de quem somos e não em quem estamos existindo.

Para viver não basta ver, ouvir, pensar e falar, é preciso sentir, mas sem paixão, pois essa nos impulsiona nas realizações existenciais: casar, ter filhos, ter dinheiro, ser feliz, ter casa, comida, amigos, viajar, etc. E não basta ter sangue nas veias e ar nos pulmões, é preciso sentir o fluxo de energia que move os elementos para que possamos existir.

Inevitavelmente fomos, até aqui, dois seres dentro de nós mesmos e descobrimos isso com a expansão da consciência. Hoje, estamos travando outro embate, ou seja, a confusão estabelecida entre existir (fazer) ou viver (ser).

Um novo jogou começou, tente não escolher um lado, apenas observe essa partida que logo irá acabar porque não levará mais alguns milênios como todas as outras que jogamos. Para sermos temos que existir no ser e isso nos remete para outro patamar na convivência coletiva: da aceitação, da compaixão e do reconhecimento de que somos todos Amor e Luz, apesar das escolhas e opções variadas de existir.

A tranquilidade e a paz se manifestam na coerência entre o pensar, o sentir e o agir, permanecer consciente de existir aqui. Essa maneira integral é completamente nova porque ainda está em formação um novo paradigma e não há suporte energético suficiente para nos mantermos coerentes e coesos, enquanto coletividade, o tempo todo. Mas, seremos.

Passamos muitas existências ignorando a Vida que coabita o nosso corpo físico. O que é existir? Nascer, crescer, morrer… Mas, o que acontece com a nossa essência (alma) enquanto existimos? Alinhada com a consciência, ela dá profundidade, autonomia e sentido ao existir, além de manifestar potenciais realidades.

Lidamos bem com as emoções quando elas são senso comum e, inconscientes, manifestamos somente o que guardamos em nossa memória existencial, por isso tantas experiências revelam o senso comum.

A alma permanece oculta para muitos de nós e presenciamos, passivamente, os que ainda julgam ser do outro porque estamos nos habituando a nos sentirmos unidade, não mais classificando tudo entre bom ou ruim, eles e nós, eu e você. Isso foi existir, não é errado ou certo, apenas foi.

A Terra tem bilhões de anos e somente agora nos sentimos parte da galáxia, do universo, aceitando a influência recíproca de todos os fenômenos, seja aqui, em Júpiter ou nas plêiades, a nossa energia também movimenta o Todo.

Alguns de nós integramos a infinitude ao efêmero, então, para quem está desperto, celebre a Vida eterna e mutável. Vibre o amor que você É e Boa Vida!

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fatima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com
Grata Fátima!

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração

NÃO PRECISA ENTENDER, RENDA-SE

Por Fátima D’Agostino

A nossa identidade humana foi sedimentada, ao longo dos séculos, como potenciais consumidores para o funcionamento de um sistema que nos segregou da individualidade autónoma.

Esse rompimento que se dá com as mudanças energéticas massivas ocorridas no planeta e atingindo nossa consciência, porque somos parte da Terra, nos remete aos processos de ampliação da percepção e da constatação de que a realidade colectiva se manifesta no direccionamento das acções intencionadas para manter as coisas tais como são.

Por isso a dificuldade em sabermos o que ou quem move as peças que direccionam as pessoas na construção e manutenção dos cenários tão conhecidos. Boa parcela da população mundial segue na inconsciência do seu poder de criação e autonomia, são vitimas das circunstâncias, dos direccionamentos subliminares, da governança política e vulneráveis às mudanças ou rearranjos geopolíticos.

Assim, tudo que acontece no mundo hoje, para quem está no processo de expansão da consciência, é percebido como a projecção de um filme de baixa qualidade e não há necessidade de saber quem dirige ou fez o roteiro, não somos mais plateia.

Expandimos a percepção, não nos limitamos mais aos acontecimentos locais, nos interessamos pelos ciclos universais. Estamos mais atentos em como somos afectados e afectamos, além de intuirmos que a energia que vibramos é parte da orquestração universal e de que há muito, muito mais do que imaginávamos até aqui.

As mudanças planetárias não são totalmente perceptíveis porque é processo e não se restringe apenas a nós, seres humanos, mas todas as formas de vida. Estamos vivenciando mudanças geológicas, físicas, emocionais e energéticas que moldarão as novas gerações.

Existe a possibilidade de processarmos essas mudanças ainda nessa vida. Tudo é questão de romper com as crenças herdadas e adquiridas. Tudo está acontecendo agora, mas os nossos sentidos físicos são limitados ao espaço que ocupamos e ao tempo, ainda engatinhamos no uso das potencialidades disponíveis.

Estamos percebendo que na interacção social, tudo o que sai de nós, sejam palavras ou acções, já é passado, mas chega ao interlocutor no futuro porque ainda passará pelos seus circuitos cerebrais para se transformar em visão, audição e elaboração emocional.

Tudo que é enviado foi criado num tempo diferente do que é recebido pelo outro, por isso é preciso observar o que se produz nas interlocuções, pois tudo que sentimos é percebido de maneira diferente pelo outro.

Os diálogos com julgamentos sobre fatos ocorridos não tem finalidade, são apenas distracções, mas iludem os desavisados, como se as palavras e indignações fossem alterar o que já passou.

O que chega instantaneamente é a energia que emanamos, por isso, muitas vezes a pessoa fala algo, mas captamos uma sensação divergente das palavras ditas. Na verdade, estamos sentindo as emoções verbalizadas e não apenas ouvindo palavras.

Sinto que no futuro próximo as interacções sociais limitarão os diálogos, pois não haverá necessidade de expressar julgamentos sobre fatos ou acontecimentos. As palavras serão substituídas pelas vibrações emanadas. Eu mesma não sinto muita vontade de falar e para escrever, sinto que as palavras não dão conta de representar o que quero dizer.

A colectividade e sua forma perdeu a base energética, agora somos unidades energéticas tentando agrupar frequências similares. Constatar esse fato é libertador.

No processo de expansão de consciência, os milagres (amo essa palavra, é tão profunda e mágica) estão se manifestando imediatamente. Por exemplo, sentimos medo ou angústia, às vezes sem motivo aparente, accionados por um pensamento associado a alguma memória de dor, porque volta e meia sentimos a mesma coisa, é um padrão, como a pandemia tem feito emergir em nós.

Então, conscientes, pedimos ajuda (eu peço ao meu Eu Superior) e a emoção evapora, imediatamente. Quanto mais nos integramos, mais rápido manifestamos o que intencionamos. Cada emoção que emerge e nos limita, como raiva, mágoa, medo, pedimos ajuda e deixamos ir.

É fácil, praticado conscientemente. Cada um de nós sabe ter a capacidade de romper com essas limitações, basta querer. Curamos a nós mesmos, não as pessoas que amamos ou quem está em sofrimento.

Quando curados, nossa frequência vibracional potencializa a compaixão e olhamos para o outro, amorosamente, como uma mãe ou pai olha o filho tentando fazer algo que ainda não está pronto para fazer, mas fará. Isso muda tudo, muda nossa actuação, nossa vibração e todas as nossas relações.

Observe sem o filtro da identidade pessoal, mas da integralidade de quem Somos. Sinta alegria em estar humano, é o que basta para apreciar a paisagem, não precisa saber onde esteve e nem para onde irá. Não precisa entender, renda-se. Você É!

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação – DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
http://www.decoracaoacoracao.blog.br/
http://stelalecocq.blogspot.com
https://lecocq.wordpress.com
Instagram – https://www.instagram.com/blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar, Mesa Pet,
Psicogerador e Frequência de Cura Arco Iris – lecocqmuller@gmail.com
Fátima D’Agostino – fatimadagostino@gmail.com
Grata Fátima!

LUZ!
STELA

Fonte: De Coração a Coração